Translate

sexta-feira, 29 de abril de 2016

27/28 de abril de 2016

Os dias 27/28 de abril merecem registro. Chegou uma frente fria no Rio e depois de meses consegui passar um dia sem ar condicionado. Com o frescor, veio a disposição de matar meu desejo de fazer coisas ligadas ao mundo espiritual que, com aquele calor de arrasar, eu não estava conseguindo realizar. Passei a tarde do dia 28 estudando meus prazeres. Durante minhas orações, na noite do dia 27, bateu uma saudade imensa da minha irmã, uma vontade sincera de saber como ela está, se está bem, na luz, no caminho. Emocionada, conversei com ela... E na noite do 28, assim do nada, sem eu esperar ou saber, ela aparece, de relance, num vídeo falado em espanhol a respeito do Tupyara... Andando na rua, saindo lá, já careca, usando máscara e levando uma flor branca na mão. Ela apareceu duas vezes. E eu chorei agradecida por ela ter me dado uma resposta tranquilizadora! Uma outra coisa aconteceu fruto de meus pedidos e mentalizações da noite anterior... Um nome que eu queria confirmar; pedi um sinal, qualquer coisa. E assim aconteceu. E a certeza me alegrou. Obrigada, Universo! Eu te amo, minha irmã!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

2016 /8



A passagem de ano foi aqui em casa, eu, Leo e Durga.  Não tenho clima para festas e celebrações; a tristeza pela morte da minha irmã ainda é grande. É muito estranho saber que ela  não está mais aqui... Mas como meu irmão mais velho falou, seremos sempre oito. Sempre. Oito.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

2015

Um ano difícil, assim está sendo 2015. Em 09 de fevereiro perdi minha gatinha Padme e em 05 de dezembro perdi minha irmã Nelma. O câncer as levou de mim. Cruel doença que nos faz ver a vida se esvaindo aos poucos do corpo do enfermo, trazendo a morte lenta e dolorosa. E um tanto de nós morre com aqueles que amamos... :(

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Cansada

         
Ontem foi dia de acordar às duas da tarde, depois de uma noite insone... breakdown geral, forte, daqueles de chorar de babar. Há um dementador no ar e ele suga minha alegria, minha força, minha vitalidade... suga minha razão e meu equilíbrio. Já não sei o que fazer mas sei que quero uma pausa. Quero um loopping eterno naquele breve momento em que me sinto feliz; momento tão raro que nunca sei quando será. Estou tão cansada de tudo! O mundo está tão maluco e a desesperança reside em mim. Sinto-me presa, atada às minhas escolhas, nem sempre as mais inteligentes. Pago pela minha falta de ousadia, pela minha insegurança... por me sentir derrotada. Estou cansada, repito. Muito cansada.



sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Aos 51...

E aí chega aquele momento no qual se diz: "minha mãe tinha razão".
Passei a vida discordando dela mas hoje percebo claramente:
Só se AMA uma vez na vida.
O resto é paixão, é tesão, é bem-querer, é gostar muito...
Amor mesmo, na lata, indelével, é um só.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Eu deveria repetir isso todos os dias...




"Senhor, livrai-me de mim mesmo.  Não considereis o que digo, ó meu Deus, mas o que eu desejaria vos poder dizer!"  
  Santo Agostinho.

domingo, 31 de maio de 2015

Pois é...


Desde que a Padme se foi eu tenho me sentido muito triste e das coisas que me divertiam, meus hobbies e atividades, pouca graça restou. Daí o meu silêncio por todos esses meses. Só que não dá pra viver em stand by eternamente... preciso e quero reagir e retomar meus prazeres e sorrisos. Vamos ver se rola.


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Padme se foi...

Padme & Durga

Esta é a última foto que eu tirei das minhas duas filhotinhas juntas. No dia 09/02/2015, a gatinha Padme foi embora, vencida por um terrível tumor, um fibrossarcoma muito agressivo nos últimos tempos. Foram quase dois anos de luta contra a doença, duas cirurgias, radioterapia, quimioterapia e tratamentos alternativos por último. Essa maldita doença sempre vence. Até quando?... Não tenho palavras para expressar a minha profunda tristeza e pesar. Padmeca, você faz muita falta! 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Alfabeto em Carimbos


Sabe aquelas coisas que na verdade não terão muita utilidade mas que mesmo assim a gente compra só porque achou bonitinho e fofo?
Pois é... foi o que aconteceu com as caixinhas de carimbos com o alfabeto e os números. Não satisfeita em comprar apenas uma, comprei duas, pois "precisava" de letras maiúsculas e minúsculas... 
Bem, os carimbos chegaram hoje MAS não posso usá-los porque esqueci de comprar a almofada! Humpf!