Translate

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Halloween Girls

Adoraria comemorar o Halloween tal como fazem nos USA. 
Imagino que seria minha data predileta! 
Booo!!!

Três Luas: Símbolo da Deusa Tripla. As fases da lua representam as três faces da Deusa e o ciclo da vida: A virgem (lua crescente) que cria e dá vida, a mãe (lua cheia) que faz crescer e cuida e a anciã (lua minguante) que extingue a vida.

É isso aí...

Happy Halloween!


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Eu, 2013 e o 17 de abril

Ainda é cedo, eu sei. Mas se fosse fazer um resumo de 2013 diria que foi um ano "doeu". Logo você caríssimo 2013 que chegou cheio de expectativas e esperanças. Com um início bem bacana para logo em seguida ir se desmoronando aos poucos, com tantos problemas em torno. Mas no meio da tempestade, algo de bom aconteceu. Num ano nublado e na maior parte do tempo triste e difícil, uma luz brilhou alto, um dia foi abençoado: 17 de abril de 2013. Esse foi o dia da minha libertação de uma das minhas maiores aflições, de anos seguidos de resignação e saúde maltratada. No caos de 2013, ganhei um dos melhores presentes na minha vida, um presente durável e que ninguém poderá tirar de mim. Um recompensa por todo sofrimento de anos a fio, sofrimento esse que me levou ao lastimável ponto em que me encontro. Para melhorar, só entrando uma batalha que nem sei se posso suportar. Ainda não tenho forças para reagir, está difícil... fraca, sinto-me derrotada. Pensando aqui creio que a chave para eu mudar e melhorar minhas condições está no dia 17 de abril de 2013. Lembrar de desse dia e ser grata por ele. E pela oportunidade que ele me abriu, tenho o dever de melhorar minhas condições de vida. Há muito a ser feito. Que Deus me conceda o entusiasmo necessário. (29-10-2013)

domingo, 27 de outubro de 2013

And it's not a perfect day...



Pois é, aos 71 anos Lou Reed saiu fora do planeta.
Deixa músicas bacanas e a lembrança do seu jeito peculiar.
É dele nossa música de casal: Perfect Day.
Thanks Lou, RIP.
Eu, por enquanto, continuo on the wild side. (27-10-2013)



sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Cartas Perdidas

E aí noutro dia alguém compartilhou uma postagem a respeito de uma carta de amor que foi parar no endereço correto porém dirigida a uma pessoa que não residia no local. Uma carta da China destinada ao Brasil... um amor que se perdeu nessas longuras e provavelmente se machucou nos choques culturais.

Mas perto ou longe, quem nunca escreveu uma carta e não mandou, um poema não leu, um e-mail e não enviou? Uma música nunca cantada, um presente jamais presenteado, um sorriso ensaiado que nunca se mostrou? Quem nunca nessa vida já sonhou e não realizou, apostou e se deu mal, acreditou e se ferrou? Ah... gostar de alguém. Coisa complicada, invenção ladina da qual a gente não escapa. Dá certo por um tempo e depois não dá mais... a gente diz que não quer e logo volta a buscar. É vício sem cura, precipício bem alto, dom de toda gente, alguns com arte outros amadores - todos amantes, no entanto. 

Quantas respostas não tivemos, quantas coisas não esclarecemos, perguntas que não fazemos, respostas que sonegamos... A moça da carta perdida jamais saberá sua resposta. Ou pior, sua mente criará um fantasma: o fantasma da indiferença. Ela viverá com a impressão que suas palavras não foram suficientes para tocar quem lhe movia. Talvez se sinta ridícula, quem sabe, aliviada. 

Deve acontecer muito por aí, sofrimentos em vão, sem motivos reais, frutos apenas de desencontros, de não sapiência, de falhas na comunicação...

Talvez a pessoa a qual a carta se destinada esteja se sentindo esquecida. Ou quem sabe satisfeita por ter saído na boa e deixado a "ex-amora" sem traumas ou dificuldades. Quantas vezes nos eximimos de culpa sendo culpados? Quantas torturas nos impomos por algo que não fizemos? Quanta falta de luz, quanto excesso de luz! De um extremo ao outro da vida a gente tenta se equilibrar adiando ao que for possível a derradeira queda. Mas e o amor? Transcende? Se esgota? Entra em looping nas existências desejando novos (re)encontros? 

Cartas perdidas: palavras não ditas, se jamais foram lidas... (25-10-2013)

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Agora todo mundo acha bonito...

... mas quando eu era criança fui sacaneada até não poder mais. Se fosse hoje seria bullying. Ainda bem que os tempos mudam, tudo muda, nada é perene. Especialmente a moda e seus modismos. Ser ruivo(a) agora é bacana. Somos até invejados por alguns. Quem diria...



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"Beijos"


Já reparou que dependendo de quem escreveu a palavra "beijos", o movimento, a textura, o gosto...todas as memórias vem à tona: frescas e saudáveis como se fossem presentes?

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Padme

Poderia ou deveria começar esse blog com alguma coisa bacana, diferente, alto astral. Mas não. Vou de mimimi deprê, tal como estava agarrada a porta do armário, aos prantos,  implorando um milagre pra Deus. Não consigo reagir, fazer alguma coisa a não ser pensar e pensar com pesar e medo no desfecho da situação, se terei discernimento suficiente para tomar a decisão correta, aquela salva e não a que condena. Preciso de luz, muita luz e piedade, um tantão de boa vontade de tudo de positivo que há por aí. Tudo termina, eu sei, a vida começa a se deteriorar no instante em que nascemos, tudo morre, vai embora, vira cinza, lembrança, saudade. Eu sei. Mas saber não basta, não dá pra ser racional quando o que está em jogo é um amor incondicional, daqueles grandes, como poucos... Ah  se existisse um jeito, uma saída, a cura, a eternidade da ternura ficaria comigo como tem sido ao longo desses dez anos. Meu pequeno grande amor está em risco, pode sofrer, pode sucumbir. E eu, muito pouco posso fazer, só posso dar amor e carinho, dedicação e um pouco de esperança forçada. Não quero presenciar o pequeno corpo sofrendo e nem mesmo o fim daquele olhar tão belo e verdinho. Nunca mais ouvi-la miar, pular na paredes, me acordar, me pisotear tão gostosamente, e ouvir aquele "ronrinho" tão delicado e baixinho... Como isso pode findar? Pode, eu sei. Mas poderia ser suave, ser dormindo, num sonho do qual não se volta, sem sofrimento nem maiores tristezas. Meu coração tá apertado, tanto amor ainda tenho pra dar... Que Deus nos conceda um milagre. (22-10-2013)